MAIN_fundos claros 20224.jpg

QUEM SOMOS:

Maín é um coletivo interdisciplinar e multiprofissional de profissionais voltadas para atenção e assistência à saúde da mulher e o cuidado na gestação, parto e puerpério. Acreditamos que todas as pessoas devem ter direito a concepção e criação com liberdade e acolhimento. Nossa missão é potencializar, em cada processo, as relações engajadas em todo ciclo gravídico-puerperal, vislumbrando a co-criação de novas narrativas possíveis e transformadoras. Trabalhamos com respeito às singularidades, ao mesmo tempo em que construímos uma experiência coletiva de rede de apoio e vínculo entre as famílias assistidas pela equipe, abrindo espaço para a construção de autonomia e agenciamento sobre seus corpos, partos e experiências.

Atuamos tanto na assistência individual, desde a concepção até o pós-parto, quanto através de cursos, rodas, parcerias e eventos que acompanham nossa prática e rotina. O espaço de estudo e a partilha autônoma de conhecimento constitui nossa essência e transborda para a produção e provocação dos novos encontros. 

A partir das nossas trajetórias e dos conteúdos acadêmicos e culturais que nos compõe promovemos experiências e espaços educativos voltados para sujeitos, casais ou duplas que, em parceria, tenham decidido trilhar o caminho do partejar. 

O cuidado através das práticas integrativas em saúde (PICs) atravessa todo o nosso fazer. Além dos cursos e experiências coletivas, possuímos consultorias e atendimentos individuais para garantir que os conteúdos cheguem da forma que seja mais coerente para cada um. 

CONHEÇA AS RESPONSÁVEIS PELO COLETIVO MAÍN:

 
DSC05856.jpg

ISADORA MALTA

Doula pela Levatrice / GAMA, educadora, terapeuta somática e pesquisadora da mobilidade e corporeidade na assistência à gestação e parto. Desenvolve (desde 2018) o projeto Corpo Gesta, o qual coordena em São Paulo.
Carioca, nascida e criada no Rio de Janeiro, começou sua trajetória como artista e bailarina, graduada em Artes da cena pela UFRJ e pós-graduada em Terapia através do movimento: corpo e subjetivação pela FAV. 
Possui diversos cursos complementares na área do cuidado em saúde, bem como: Assistência da Gestante e Puérpera frente à Pandemia da Covid-19, OPAS e UFPE; Hipnose na Assistência Obstétrica pelo Hypnobirth, com Lucia Deju; Consultoria em Aleitamento Materno (UFSC) Aromaterapia pelo IBRA; Spinning Babies com Maíra Libertad e Anatomia e Fisiologia do Parto Ampliadas  pela Levatrice; Ginecologia Natural, NUPEC da Casa Angela;  Massagem e Integração Somática, com Núbia Barbosa. Psicanálise, perinatalidade e parentalidade , Instituto Gerar e Gestão da Clínica na Atenção Básica (qualificação profissional), UFCSPA.​

LETÍCIA ARRUDA

Letícia é mãe de duas amoras, Obstetriz pela EACH - USP, formada em 2021 e Laserterapeuta. Formada anteriormente como Doula pelo GAMA, atuação que seguiu profissionalmente por mais de dez anos.

Promove rodas sobre Direitos Sexuais e Reprodutivos desde 2008, além de estar à frente dos projetos:

  • Coordenação do Espaço Ishtar Sorocaba de 2008 a 2013.

  • Feminismos entre costuras, 2020

  • Corpo Território (proposta de conversa sobre ginecologia autônoma), 2021

Possui diversos cursos complementares em gênero e saúde, como de Manejo em aleitamento materno pelo SMAM Fortaleza, Cuidado integral do pós-parto com Coletivo Cuida, Psicanálise, perinatalidade e parentalidade pelo Instituto Gerar, Desafios do feminino da Casa do Saber e Partería baseada em evidências, pela Levatrice.

DSC05884.jpg
DSC05875.jpg

JULIANE SCUDELER

Obstetriz formada pela Escola de Artes Ciências e Humanidades (EACH) da USP, Doula formada pela “Mulheres Empoderadas Revelando Doulas” e Comunicadora Social formada pela Uniso.
Atuante no ciclo gravídico puerperal desde 2013, atualmente atende partos domiciliares, hospitalares e em casas de parto, além de consultas de pré natal, pós parto e que abrangem a saúde de pessoas com vagina.
Foi coautora da pesquisa de iniciação científica “A Sociedade e o (não) direito ao corpo” em 2017 pela USP, e pesquisadora do Projeto de Extensão "Rodas de Conversa entre Mulheres" em 2018 também pela USP. Atualmente é pesquisadora do direito ao aborto onde se debruça no assunto desde 2017.
Possui diversas formações e participações que abarcam a área da saúde como: “Compreendendo o Zika e doenças emergentes”, “Crianças e Adolescentes LGBTQI+ e o Papel da Família e da Escola”, “Curso Rastreamento de contato da COVID-19”, "Transformando a realidade LGBT+", “Curso teórico de Emergências Obstétricas e Reanimação Neonatal”, pela Levatrice,  Siaparto 2021, entre outros.
Participou em 2019 da Webconferência: "Semana de Combate a Sífilis Congênita" e do Workshop: "Metodologia de pesquisa feminista". Em 2017  esteve presente no  “I Encontro de Pesquisa e Ativismo sobre Aborto”, e do “13º Mundos de Mulheres & Fazendo Gênero” realizado no Brasil neste ano, e também no memo ano, realizou uma vivência de imersão no assentamento do MST conjutamente com estudantes e professoras da Obstetrícia, afim de discutir e vivenciar a saúde das mulheres dentro deste espaço.

ANA GARBULHO

Mãe de três, Obstetriz pela EACH – USP, Pós-graduada em Cuidado Materno Infantil com Enfoque em Aleitamento Materno pela Mame Bem, Laserterapeuta pela Allaser e sócia da plataforma SOS Primeiros Dias.
Ana atua na assistência ao parto e amamentação desde 2005, quando começou como doula e atualmente atua no âmbito hospitalar, domiciliar e em casa de parto no papel de parteira. Sempre em constante atualização, participa de diversos cursos, simpósios e workshops para oferecer a melhor e mais embasada assistência possível além de sua missão no papel de facilitadora de cursos na área materno infantil. Desde 2009 Ana Garbulho é convidada à ministrar aulas, palestras e organizar cursos tanto para famílias quanto para profissionais em parceria com outras instituições, como o GAMA. Em 2019 escreveu um capítulo para o “Tratado de Cuidado Materno Infantil” da Editora Mame Bem e outro para “O parto é da Mulher” da autora Cristina Balzano Guimarães.
Paulistana de sangue mas Sorocabana por adoção, sua vida vive lá e cá, estrada afora, se dividindo entre as cidades pra levar Cuidado, acolhimento, assistência embasada e um sorriso.

DSC05725.jpg
DSC05851.jpg

THAIS GALVÃO

Thais é Obstetriz formada pela Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade São Paulo (EACH/USP).
Possui formação em Manejo Clínico do Aleitamento Materno pelo Hospital Municipal Dr. Fernando Mauro Pires da Rocha (2019). Segue em atualização profissional, através da participação no Simpósio Internacional de Assistência ao Parto Online (2021). 
Em 2021, se dedicou a pesquisa “Painel de pacientes para equipes na Estratégia de Saúde da Família” promovida pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein/IIEPAE/SBIBAE.
Integrou a pesquisa “Aconselhamento psico-educacional como intervenção terapêutica para mulheres com sintomas depressivos na gestação de alto risco” da USP durante 2019 e 2020.
Das formações complementares, participou de diversos cursos em 2020: "Intercorrências Obstétricas" pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Libras e Saúde: O Paciente Surdo e Seus Cuidados, Sensibilização às perdas gestacionais e neonatais e Semana Nacional de Prevenção à Gravidez na Adolescência. Em 2019, compôs o curso de extensão "Comunicação e Zero Discriminação em HIV/AIDS" (UNAIDS) e a formação em Monitoramento NBCAL, curso promovido pela Rede IBFAN - Rede Internacional em defesa pelo Direito de Amamentar (2019).
Anteriormente, formou-se Doula pela MAMATOTO - Parteria Urbana (2015).